Pedagogia Sistêmica: entenda um pouco mais

A Pedagogia Sistêmica

O que é a Pedagogia Sistêmica?

A transposição do pensamento sistêmico para a educação, se dá a partir do entendimento de todos os sistemas estruturados cartesianamente, diante das estruturas em camadas não lineares de nossa sociedade já não eram capazes de responder aos questionamentos do próprio funcionamento de nossa sociedade. O pensamento sistêmico é uma forma de compreender o mundo e suas relações de forma interconectada.

 

Hoje, percebermos que o nem conhecimento e nem as relações estão postas de modo cartesiano e paralelo sobre o universo. Ao contrário. Elas se misturam, tornam-se uma só, separam-se, unem-se a outras estrutures, construindo um sistema de ondas ou talvez até fractal. Podemos também dizer que a organização de nossa sociedade é semelhante a um caleidoscópio.

Nesse sentido, não podemos mais separar as nossas reflexões em pequenas gavetas que não se comunicam umas com as outras. “isso é política”, “isso é meio ambiente”, “isso é matemática”; etc. O pensamento e as estruturas não podem se pautar nessas segmentações e quando se pautam não dão conta da realidade como um todo. Assim, o pensamento sistêmico nos faz compreender que as relações estão presentes em nossas ações, nossas opções, nossas organizações, nossa cultura, etc. Tudo está interligado.

Ora, se tudo está interligado, podemos perceber que também nossos comportamentos impactam na vida das outras pessoas. E aqui chegamos ao ponto de falar das constelações familiares.

A partir do entendimento de conexão e interrelação entre as coisas, pensamentos, fatos, acontecimentos e etc, Bert Hellinger desenvolveu a sua teoria e em seguida psicoterapia que denominou Constelação Familiar. Para ele, também a consciência se constitui de camadas que interagem entre sim e não que seguem em frente, cada camada, pelo seu próprio caminho. E uma de suas considerações também muito significativas, é que as relações familiares, seja de familiares presentes ou de ancestrais, trazem peso, força, culpa ou outros sentimentos para a consciência daquele indivíduo.

Hellinger, a partir de seus estudos, percebeu que dificuldades, conflitos, bloqueios, doenças, entre outras queixas podem, inconscientemente, ser influência de outros membros da família, inclusive de gerações passadas, mesmo que desconhecidos.

 

Tendo em vista essa forma de perceber os indivíduos, Marianne Franke-Gricksch e Angelica Olvera desenvolveram uma nova perspectiva para a Educação: A pedagogia Sistêmica.

É bom lembrar que a pedagogia sistêmica não se trata de uma metodologia cujo objetivo é substituir as práticas pedagógicas já existentes, mas, sim apresentar uma nova possibilidade na forma de se estabelecer as relações no interior da escola. Do professor com ele mesmo e com a sua identidade, do professor com seu aluno, do professor com o aluno difícil, do professor com o colega professor, do professor com a comunidade escolar, do professor com o pai do aluno difícil, do professor com a direção da escola.

Assim, a Pedagogia sistêmica é uma nova forma de ver o aluno de percebê-lo como indivíduo e essa nova forma de ver, pode contribuir para que, no interior da sala de aula, curas aconteçam e o aprendizado se dê de forma válida.

 

 

Para saber mais, conheça o nosso curso Introdução à Pedagogia Sistêmica.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *