Multidisciplinaridade, Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade

Interdisciplinaridade, Multidisciplinaridade e Transdisciplinaridade. Pensar em currículo escolar, na atualidade, exige de nós professores uma reflexão que vai muito além de compreender conteúdos e metodologias. É preciso compreender as culturas existentes na escola, é preciso compreender que a nossa sociedade é plural, é preciso compreender que a função social da escola e acima de tudo, é preciso saber onde se quer chegar e qual a melhor forma de se chegar lá.  

Leia Também:

O Bullying na Escola: O que é e suas consequências

Hora da Roda: a sua importância na educação infantil

Por quê ser um professor capacitado?

Compreender a escola como um espaço multicultural é um passo importante no sentido de construir um currículo que faça algum “sentido” para os alunos, professores e comunidade escolar, pois, 

(…) as diversas culturas seriam o resultado das diferentes formas pelas quais os variados grupos humanos, submetidos a diferentes condições ambientais e históricas, realizam o potencial criativo que seria uma característica comum de todo ser humano. (…) é em nome dessa humanidade comum que esse tipo de multiculturalismo apela para o respeito, a tolerância e a convivência pacífica entre as diferentes culturas. (…). (SILVA, 2011, p. 86)

Sendo assim, uma questão que se coloca diante de nós é: como pensar os conteúdos que serão explorados com os alunos no ambiente escolar? Existem diferentes maneiras de relacionar com os conhecimentos construídos ao longo da história da humanidade, mas quais são elas? Como a escola pode se organizar para o novo milênio, no qual já estamos vivendo? 

Vamos, pois, falar das três formas mais citadas de organizar os conteúdos do currículo escolas: A multidisciplinaridade, a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade. 

A Multidisciplinaridade

A multidisciplinaridade é a existência de um grande número de disciplinas que tratam de um mesmo assunto. Nós podemos dizer que é como se fossem várias caixas empilhadas.

Cada caixa refere-se a uma disciplina. Todas as disciplinas estão sobrepostas, mas nem sempre elas dialogam entre si. As caixas estão empilhadas, mas o conteúdo de cada uma delas não se mistura.  

Interdisciplinaridade - Multidisciplinaridade - caixas

Segundo Piaget, a multidisciplinaridade ocorre quando “a solução de um problema torna necessário obter informação de duas ou mais ciências ou setores do conhecimento sem que as disciplinas envolvidas no processo sejam elas mesmas modificadas ou enriquecidas”.

A multidisciplinaridade foi considerada importante para acabar com um ensino extremamente especializado, concentrado em uma única disciplina.

A multidisciplinaridade pode ser entendida com a gama de disciplinas

Uma escola pode se propor a desenvolver um projeto sobre o meio ambiente, por exemplo. As disciplinas de português, matemáticas, ciências biológicas, química, física e geografia engajam-se no tema, mas elas não trocam entre si e não dialogam entre sim. Apesar de um mesmo tema perpassar todas as disciplinas, o trabalho continua divido entre elas.

A Interdisciplinaridade

Na interdisciplinaridade as disciplinas dialogam entre si e se complementam dando origem a novos conceitos. Nesse sentido, podemos dizer que a interdisciplinaridade consiste na integração de várias e diferentes áreas do conhecimento num trabalho de troca e cooperação.

A interdisciplinaridade surgiu no final do século passado a partir da necessidade de justificar a fragmentação causada por uma epistemologia de cunho positivista. As ciências foram divididas em muitas disciplinas e a interdisciplinaridade restabelecia, pelo menos, um diálogo entre elas.

Considerada pela ciência da educação como uma relação interna da disciplina “matriz” e a disciplinada “aplicada”, a interdisciplinaridade passou a ser um termo aceito na educação por ser vista como uma forma de pensamento.

Segundo Piaget, a interdisciplinaridade seria uma forma de se chegar à transdisciplinaridade, etapa que não ficaria na interação e reciprocidade entre as ciências, mas alcançaria um estágio onde não haveria mais fronteiras entre as disciplinas.

Um projeto para ser interdisciplinar precisa não somente contemplar diversas disciplinas, mas sobre tudo que elas dialoguem entre si e que se complementem mutuamente.

No nosso exemplo do projeto de meio ambiente, a postura interdisciplinar obrigaria os professores a tratar não somente de suas disciplinas isoladamente, mas tratar dos conteúdos das outras disciplinas estabelecendo um diálogo.

É preciso que todos os professores tenham um conhecimento básico do conteúdo a ser trabalhado e que façam referências aos outros conteúdos. Digamos que o projeto trate do cuidado com a água. Os alunos poderiam desenvolver um projeto de captação de água da chuva para ser utilizado na limpeza da escola.

Esse projeto envolveria cálculos matemáticos em sua elaboração, conhecimentos geográficos sobre as chuvas e ventos, capacidade argumentativa na produção do relatório do projeto, etc.

Interdisciplinaridade - Conhecimentos

Interdisciplinaridade é a relação e interação entre as disciplinas. Os conteúdos se relacionam entre si. Um projeto interdisciplinar contempla os diversos conteúdos: português, matemática, ciência, etc.

Nas palavras de Lück (1994) temos que:

O objetivo da interdisciplinaridade é, portanto, o de promover a superação da visão restrita de mundo e a compreensão da complexidade da realidade, ao mesmo tempo resgatando a centralidade do homem na realidade e na produção do conhecimento, de modo a permitir ao mesmo tempo uma melhor compreensão da realidade e do homem como ser determinante e determinado. (LÜCK, 1994: p. 60)

Para que a interdisciplinaridade seja uma realizada no meio escolar, é indispensável que a prática e planejamento estejam voltados para a interação e a troca entre as diferentes áreas do conhecimento, num processo de comunicação de ideias, reciprocidade de conceitos, conteúdos, metodologia e objetivos, etc. Segundo Lück (1994):

(…) sua prática, no contexto da sala de aula, implica na vivência do espírito de parceria, de interação entre teoria e prática, conteúdo e realidade, objetividade e subjetividade, ensino e avaliação, meios e fins, tempo e espaço, professor e aluno, reflexão e ação, dentre muitos dos múltiplos fatores interagentes do processo pedagógico. (LÜCK, 1994 p. 54)

E completa:

Interdisciplinaridade é o processo que se envolve a integração e engajamento de educadores, num trabalho conjunto, de interação das disciplinas do currículo escolar entre si e com a realidade, de modo a superar a fragmentação do ensino, objetivando a formação integral dos alunos, a fim de que possam exercer criticamente a cidadania, mediante uma visão global de mundo e serem capazes de enfrentar os problemas complexos, amplos e globais da realidade atual. (LÜCK, 1994. p.64)

O trabalho pedagógico interdisciplinar além de superar a visão cartesiana de educação, onde os conteúdos estão isolados em caixas, é uma forma de tornar a educação algo realmente significativo para os alunos e comunidade escolar. Com foco em uma prática pedagógica onde o conteúdo se organize de forma ampla e complexa, o aluno participe ativamente no processo de aprendizagem e o professor seja um mediador, a interdisciplinaridade representa um viés, um caminho, uma alternativa metodológica na qual o aprendizado se dê de forma dinâmica e interligada e não mais estanque, engessada e fragmentada.

Segundo LUCK, 2009, o conhecimento, no ambiente escolar, é tratado de maneira fragmentada e limitado:

O conhecimento vem sendo produzido de modo fragmentado, dissociando-se cada fragmento de conhecimento do contexto que emerge. Cria-se, deste modo, um conhecimento limitado, ao mesmo tempo em que se produz um mosaico de informações, de conhecimentos paralelos, desagregados uns dos outros, e até mesmo antagônicos, todos tidos como legítimas representações da realidade (LÜCK, 2009, p. 14)

A Transdisciplinaridade

A transdisciplinaridade, conforme o próprio nome já diz, transcende as disciplinas. É uma proposta educacional e formadora que ultrapassa as paredes da sala de aula e está em harmonia com o funcionamento biológico dos seres humanos.

Interdisciplinaridade - Transdisciplinaridade o que e

Esta expressão foi criada pelo educador Jean Piaget, durante o I seminário Internacional sobre Pluri e Interdisciplinaridade, o qual se desenrolou em 1970, na Universidade de Nice; nesta ocasião foi originalmente utilizada esta palavra, deflagrando uma série de pesquisas sobre seu significado e as implicações por trás desta ideia, estimuladas pelo seu próprio criador.

Na transdisciplinaridade não existem mais as disciplinas. O conhecimento é tido como global. Como parte de um todo. Ele é entendido como transversal.

A principal característica da abordagem transdisciplinar é a aproximação das diversas disciplinas e áreas do conhecimento, com metodologias construídas através da articulação de todos os especialistas, em função de seus conhecimentos e saberes (MORIN, 2003).

O exemplo mais próximo que temos de transdisciplinaridade encontra-se na escola da ponte de Portugal.

O saber a que se refere Morin diz respeito à intercomunicação do conhecimento. Umas grandes contribuições de Aristóteles para a sociedade é a fragmentação da realidade na busca por conhecimento (gramática, matemática, filosofia, química, física, etc.). Para Morin, é necessário que indivíduos do futuro tenham a capacidade de relacionar esses diferentes conhecimentos em um único contexto, sem fragmentá-lo

“O conhecimento dos problemas-chave, das informações chave relativas ao mundo, por mais aleatório e difícil que seja, deve ser tentado sob pena de imperfeição cognitiva, mais ainda quando o contexto atual de qualquer conhecimento político, econômico, antropológico, ecológico… é o próprio mundo. A era planetária necessita situar tudo no contexto e no complexo planetário. O conhecimento do mundo como mundo é necessidade ao mesmo tempo intelectual e vital. É o problema universal de todo cidadão do novo milênio: como ter acesso às informações sobre o mundo e como ter a possibilidade de articulá-las e organizá-las? Como perceber e conceber o Contexto, o Global (a relação todo/partes), o Multidimensional, o Complexo? Para articular e organizar os conhecimentos e assim reconhecer e conhecer os problemas do mundo, é necessária a reforma do pensamento. Entretanto, esta reforma é paradigmática e, não, programática: é a questão fundamental da educação, já que se refere à nossa aptidão para organizar o conhecimento.

A esse problema universal confronta-se a educação do futuro, pois existe inadequação cada vez mais ampla, profunda e grave entre, de um lado, os saberes desunidos, divididos, compartimentados e, de outro, as realidades ou problemas cada vez mais multidisciplinares, transversais, multidimensionais, transnacionais, globais e planetários.” (MORIN, p. 35-36)

Aproveite para se aprofundar ainda mais no tema e ouça o episódio do nosso podcast, Sala dos Professores, onde abordamos Multidisciplinaridade, Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade.

Continue nos acompanhando. Se você só conhece o nosso blog, saiba que temos um mundo de conteúdo preparado com muito carinho em nossos outros canais. Confira:

YOUTUBE – [CONHEÇA NOSSO CANAL]

PODCAST – [OUÇA NO SOUNDCLOUD]

FACEBOOK – [CURTA NOSSA PÁGINA]

INSTAGRAM – [SIGA O NOSSO PERFIL] 

TWITTER – [SIGA A GENTE]

Referência:

D'AMBROSIO, Ubiratan. Transdisciplinaridade. São Paulo: Ed. Palas Athena, 2009.

LÜCK, Heloísa. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Trad. Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. 2 ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000.

_______. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

_______. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2007.

PIAGET, J. Epistemologie des relations interdisciplinaires. In: CERI (Ed.). L'interdisciplinarité: problèmes d´enseignement et de recherche dans les Universités. Paris: UNESCO/OCDE, 1972. p. 131-144 apud POMBO, O. Contribuição para um vocabulário sobre interdisciplinaridade. In: POMBO, O.; GUIMARÃES, H.; LEVY, T. Interdisciplinaridade: reflexão e experiência. 2 ed. rev. aum. Lisboa: Texto, 1994.

2 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *