Dia dos Pais: uma data para se comemorar nas escolas?

O dia dos pais está chegando e com ele o pensamento dos professores da educação infantil e das séries iniciais do ensino fundamental começa a fervilhar: o quê fazer como lembrancinha do dia dos pais? Como trabalhar estas datas comemorativas na escola?

Muitas escolas, seguindo um modelo mais tradicional de educação, bem como uma proposta pedagógica pensada para determinado público, deverão sim preparar os presentinhos que farão a alegria de milhares de papais no dia dos pais.

No entanto, as escolas públicas e as escolas particulares que atendem uma diversidade maior de famílias precisam parar nesse momento para pensar. Será que a escola deve mesmo produzir uma lembrancinha para os pais? Vejamos alguns pontos que precisam ser destacados, pensados e discutidos na escola:

1 – A diversidade de famílias brasileiras cujos pais não são figuras presentes:

A escola pública brasileira, desde a Constituição Federal de 1988 é gratuita, obrigatória e universal. Isso quer dizer que todas as crianças, independente de sua organização familiar, cultural, social, religiosa e etc. terá o direito à escola pública assegurado. Com isso, é preciso ter em mente que grande parte da clientela atendida pelas escolas Brasil afora, não fazem parte da uma família nuclear biparental (pai, mãe e filhos). Existem diversos modelos familiares e presentear o pai e a mãe reforçam, nesse sentido, uma cultura excludente, onde aqueles que fazem parte de famílias diferentes não são contemplados e sequer respeitados.

Datas Comemorativas na Escola - Famílias diversas

2 – Trabalhar datas comemorativas na escola é reproduzir um tipo de educação ultrapassado:

Como herança da educação tecnicista, fruto do Regime Ditatorial, a Educação Moral e Cívica ainda faz parte do currículo das escolas, mesmo sendo apenas no currículo oculto: aquele que revela as intenções escolares a partir de práticas, mas que nem sempre está registrado nos documentos oficiais.

Dentro dos conteúdos explorados pela EMC, durante do Regime Militar, estavam as datas comemorativas e entre elas, datas que ressaltavam a família tradicional brasileira. Por isso, a escola ainda mantém essa tradição. Tardif e Raymond falam que o saber da experiência tem grande poder sobre a formação acadêmica.

Então, mesmo os professores compreendendo o desarranjo que é enviar o presentinho para os pais, continuam mantendo a tradição, porque foi assim que vivenciaram a escola, perpetuando essa cultura, sem uma base teórica que a fundamente.

Datas Comemorativas na Escola - Modelo Tradicional

3 – Trabalhar datas comemorativas na escola é perder oportunidades pedagógicas verdadeiramente ricas para o aprendizado das crianças:

Todas as vezes que um professor abre mão de sua intencionalidade pedagógica para desenvolver um trabalho pouco significativo para o desenvolvimento dos alunos, ele perde a chance de alçar voos de aprendizagem com seus alunos. A escola é um espaço de trocas, de desenvolvimento, de descobertas, experiências e abrir mão das oportunidades de aprendizagem acaba sendo um desperdício para alunos e professores.

Ouça a faixa do nosso podcast sobre datas comemorativas na educação infantil!

Compartilhe!

Leia também:

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *